LÁBIO LEPORINO

O que é lábio leporino?

            Popularmente conhecida como lábio leporino, a fissura labiopalatal é uma abertura na região do lábio e/ou palato do recém-nascido ocasionada pelo não fechamento destas estruturas na fase embrionária, isto é, entre a 4ª e a 12ª semana de gestação. As fissuras podem ser unilaterais ou bilaterais e variam desde formas mais leves como cicatriz labial ou úvula bífida (úvula aparece partida em duas) até formas mais graves como as fissuras completas de lábio e palato. As fissuras podem deixar o canal oral em contato com o nasal.

Fissura Labial Unilateral: várias são as formas possíveis de acometimento da fissura labial unilateral, considerando desde as alterações menores sobre o lábio,
tais como um simples entalhe sobre o vermelhão, até o acometimento de todo o lábio, podendo ter ainda, associação da deformidade do lábio com o assoalho da narina,
com ou sem alteração do arco alveolar.

         1img2img

1e2 (Fissura labial unilateral)

Fissura Labial Bilateral: apresentam como característica alterações anatômicas importantes, principalmente quando associadas às fissuras palatinas, onde a de gravidade maior fica por conta da ausência de certos elementos bilaterais como a ausência do cinturão muscular do lábio cuja pré-maxila projeta-se muitas vezes sem relação com os segmentos maxilares e alveolares devido ao crescimento a partir do septo nasal. Além das assimetrias, o pró-lábio é de volume variável, a columela curta, as asas nasais são alargadas e planas e os arcos alveolares, sem manter relação com a pré-maxila, podem apresentar colapso.

                                3

                                         Fissura labial bilateral 

Fissuras Palatinas: As fissuras palatinas podem apresentar-se associadas ou não às fissuras labiais e são deformidades que interferem diretamente nas funções orgânicas e funcionais de seus portadores.

                               4

                               Fissura labiopalatina a direita

                              5

                               Fissura labiopalatina bilateral

                               6

                                       Fissura palatina 

http://www.redeprofis.com.br/grau_deficiencia.php

Qual é a frequência de ocorrência dessa má formação congênita?

 A freqüência dessa anomalia é de 1 em 1000 nascimentos. Essa freqüência é maior em japoneses e menor entre negros e o sexo masculino é mais afetado que o feminino.

Quais os fatores que implicam na ocorrência do lábio leporino?

            Existem vários fatores que tem sido implicados no seu aparecimento, tais como o uso de álcool ou cigarros, a realização de raios-x na região abdominal, a ingestão de medicamentos, como anti-convulsivantes ou corticóide, durante o primeiro trimestre gestacional, deficiências nutricionais, infecções , além da hereditariedade.

Como detectar e corrigir essa má formação?

            Devido ao aperfeiçoamento do ultrassom, o lábio leporino pode ser diagnosticado antes mesmo do parto. Isso permite que, logo após o nascimento, a cirurgia corretiva seja realizada. A primeira cirurgia, de lábio e palato mole, é realizada normalmente aos três meses de idade quando a criança já deve ter 5Kg. Já a cirurgia de palato duro é realizada apenas aos 12 meses de idade.

O que deve ser feito para que o bebê tenha uma boa alimentação até que seja feita a cirurgia do palato duro?

            Para uma boa alimentação e a criança não refluir alimento pelo nariz até a cirurgia do palato duro, são desenvolvidas técnicas de amamentação sendo a persistência da mãe fator fundamental para seu sucesso. Se mesmo assim a mãe não consegue amamentar, ela é orientada a fazer a ordenha e dar o leite materno na mamadeira, pois a preocupação é que mamando mal o bebê terá pouco ganho de peso. Podem ser usadas também placas palatinas pré-moldadas, de fácil manejo para ajudar na amamentação.

A criança pode apresentar seqüelas decorrentes do lábio leporino?

Sem o devido tratamento, as fissuras podem provocar seqüelas graves, como a perda da audição, problemas de fala e déficit nutricional, além do sofrimento com o preconceito. É possível a total reabilitação do paciente com fissura labiopalatal. Quanto mais cedo a intervenção, melhor. O tratamento é longo, mas eficaz, tendo início desde o nascimento até a fase adulta, passando por várias cirurgias corretivas e estéticas.

Referências bibliográficas

http://www.biobras.com.br/adam/encyclopedia/ency/article/001051.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lábio_leporino

http://www.ufv.br/dbg/BIO240/dg18.HTM

http://www.cirurgiaplastica.com/leporin.htm

http://www.redeprofis.com.br/grau_deficiencia.php